Bio

Durante os anos que passou estudando cinema na FUC, Martín Rietti assistia religiosamente a um filme por dia e preferia, cada vez que ele podia, passar as horas de aula falando sobre cinema com seus professores no bar da esquina com a companhia de um whisky.

Suas obsessões estéticas e sua voracidade visual o tornaram em um diretor singular. Seu trabalho lhe permitiu viajar por Oriente e Ocidente, e graças a ele conhecemos espaços secretos como o escritório de Yayoi Kusama em tóquio e as entranhas do Teatro Colón. Fez voar Rufus Wainwright e nos levou de roadtrip pelo mundo acompanhando os mais importantes designers industriais da atualidade.

Tem uma verdadeira admiração pela beleza em todas suas formas, a boa vida, Brian De Palma e quase todas as demais coisas.